12 fevereiro 2013

Resenha: Meu namorado é um zumbi (Sangue Quente)


Olá pessoal!
Hoje trago pra vocês uma resenha sobre um livro e um filme lindos que eu li e vi ontem rs
Sei que é um pouco estranho eu ler um livro e ver um filme e correr aqui para o blog e postar algo sobre eles, mas é que dessa vez a história me pegou de jeito e eu praticamente fui FORÇADA pelo meu subconsciente a fazer esse post!
Acho que todos vocês já ouviram falar sobre o filme “Meu namorado é um zumbi” que estreou nessa sexta feira (08 de fevereiro) e acredito que saibam também que o filme é adaptado do romance escrito por Isaac Marion, que tem o nome de “Sangue Quente” (Tradução de “Warm Bodies”).  A sinopse do livro é a seguinte:





“R é um jovem vivendo uma crise existencial – ele é um zumbi. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a “vida” de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos- vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.”






Tem como não ter vontade de ver o filme ou ler o livro?!
Alguns sites, como o ‘Omelete’, por exemplo, trazem o filme descrito da seguinte forma:

“A história de Meu Namorado É um Zumbi se passa num cenário pós-apocalíptico e segue um zumbi chamado R (Nicholas Hoult) em crise existencial, que faz uma amizade improvável com uma humana, a namorada (Teresa Palmer) de uma de suas vítimas. O envolvimento dos dois acaba despertando em Meu Namorado É um Zumbi uma reação em cadeia que causa uma transformação nele e nos outros desmortos. “




O fato é que não sei se por causa do jeitinho doce de R. ou pela sagacidade de Julie, o filme me prendeu de uma forma impressionante. O assunto tratado são os que mais me chamam a atenção, essa história de apocalipse zumbi, e uma pessoa que se torna melhor por outra, são assuntos muito legais.
Adoro o tom de comédia dado no filme, ri demais durante a sessão com as caras feitas por R e a maneira como ele tenta parecer “normal” perto de Julie. Uma pitada de comédia também é dada por M (Rob Corddry), o zumbi melhor amigo de R e por Nora (Analeight Tipton), a melhor amiga de Julie. 

Só não curti muito o fato de o tempo todo, as memórias de Perry (ex-namorado de Julie e jantar de R, interpretado por Dave Franco), ficarem rondando a cabeça do R, mas ao ler o livro, eu entendi como isso foi crucial pro desenrolar da história.

Como não amar o momento em que R conhece Julie?! O quando ele promete manter ela segura?! O modo como ele se sente responsável pela vida dela e como esse sentimento consegue trazê-lo de volta. Como não associar a história com Romeu e Julieta, tem até uma cena que remete ao romance histórico rs.
Pra mim, o ápice do filme, é o beijo dos dois e como isso reflete na vida e no corpo de R. Simplesmente mágico!



O livro é um relato de como o mundo tem deixado de lado sentimentos fortes, como amor, solidariedade, compaixão.  Durante todo o diálogo interno de R, que rola durante todo o livro, somo forçados a pensar em como o mundo ter se tornado um lugar frio, cinza e de pessoas “mortas” que andam por ai sugando a energia de outras e fingindo que ainda estão vivas. Perfeitos zumbis!
Comecei a ler o livro na parte da tarde, e a linguagem é tão gostosa, tão simples, que consegui terminá-lo hoje pela manhã. É uma história linda, e eu recomendo demais. Quem quiser refletir um pouco sobre a nossa vida e o modo como o mundo tem se deteriorado, é uma ótima pedida.
Pra quem estiver interessado ou quiser ver um pouquinho do filme, segue o trailer ai embaixo. Aproveitem, “Meu namorado é um zumbi” está em cartaz em todos os cinemas.